Postado por: Eidam

O ensino da matemática foi um dos temas discutidos nas rodas de conversa da SBPC Educação 2019

Link da Matéria do site da UFMS: https://www.ufms.br/sbpc-educacao-ensino-da-matematica-e-um-dos-temas-discutidos-nas-rodas-de-conversa/

Durante a programação da 71ª Reunião Anual da SBPC ocorreram roda de conversas sobre o ensino de Matemática com professores e licenciandos do Instituto de Matemática (INMA), professores da rede municipal e estadual de ensino, alunos da pós-graduação e comunidade.

Os projetos nacionais de formação inicial de professores no âmbito do Instituto de Matemática”, foi o tema da roda de conversas que apresentou os programas e as ações desenvolvidas em espaços da UFMS e nas escolas da região e a sua importância na formação inicial. Essa roda teve a participação das professoras do INMA Edilene Simões Costa dos Santos e Elen Viviani Pereira Spreafico e da acadêmica do curso Thays Alves de Oliveira.

     

segunda roda de conversa foi sobre “A formação de professores e a educação Matemática nas fronteiras da diversidade e do desenvolvimento social”, com participação das professoras Fernanda Malinosky Coelho da Rosa (INMA),  Patrícia Sândalo Pereira (INMA) e  Solange Hassan Ahmad Ali Fernandes (convidada – UNIAN/SP). Essa roda trouxe a discussão sobre a formação do docente que ensina Matemática para lidar com a diversidade e o desenvolvimento social, o desempenho acadêmico de pessoas historicamente marginalizadas, em particular as com deficiências ou/e transtornos, altas habilidades e as dificuldades específicas de aprendizagem em Matemática para alunos  em situação de risco ou vulnerabilidade social.

  

E por fim, a terceira roda de conversas intitulada “Formação de professores que ensinam Matemática: desafios e perspectivas”, conduzida pelos professores Thiago Pedro Pinto, Carla Mariano da Silva e Suely Scherer, todos do INMA,  discutiu sobre os desafios e as perspectivas na formação de professores que ensinam em Matemática. Na ocasião, os docentes ressaltaram que não deve haver relações de superioridade entre professores da universidade e os docentes das redes de ensino, que devemos trabalhar de forma colaborativa tanto nas relações escola-universidade quanto nas relações entre os docentes da rede, pois a busca ou auxílio em “como ensinar” ou “como planejar” pode vir de um colega de trabalho e não vem, necessariamente, só da universidade.

Compartilhe:
Veja também